Formas de tratameto no Brasil


Como saber que você não é mais adolescente, ou melhor, que está ficando “velho”?


Por: cristiano | postado em: 1 de julho de 2013
Categorias: Cultura, Curiosidades tags , , , , , , , , .

Como saber que você não é mais adolescente, ou melhor, que está ficando “velho”? No meu caso, a ficha caiu quando me chamaram de “tia” pela primeria vez. Respirei fundo, olhei para o garoto, sorri e disse: pois não? Estava ainda chocada com a ideia de alguém me chamar de tia, e não o contrário, como tinha acontecido até então.

No Brasil, tia pode tanto ser a irmã de um dos seus pais, como os amigos de seus pais, os pais de seus amigos ou a sua professora na escola. É uma forma de tratamento carinhoso, mas nem todos gostam-se sentem a vontade de ser chamados assim. Nas minhas aulas de inglês eu preferia que os alunos me chamassem de teacher. Soava melhor aos meus ouvidos, me sentia menos velha.

Ao falar com professores nomalmente usamos as formas de tratamento formais, senhor ou senhora, e o seu primeiro nome, e não o ultimo, como em inglês. É claro que depende do professor e da sua relação com os alunos, mas é comum direcionar o tratamento para a informalidade. Começar o semestre com “Professora (Luciana), a senhora pode me explicar…” e terminar com “Lu, você pode me explicar…”

Algumas situaçãoes e autoridades pedem tratamento específico. Vossa Excelência é utilizado no meio oficial, para presidentes, governadores, prefeitos. Excelentíssimo ou Meritíssimo Senhor para juízes, Vossa Eminência para cardeais e Vossa Santidade para o Papa. Para os nossos pais e familiares, usamos “senhor”, “senhora” ou “você”, a depender da relação entre os entes ou de cada família.

Quando estudamos português na escola, aprendemos a conjugar os verbos utilizando o pronome “tu”: eu, tu, ele, nós, vós, eles. O “tu” é utilizado nas regiões Sul, Norte, Nordeste (excluindo a Bahia) e no Rio de Janeiro, nem sempre conjugado de forma correta. O correto é “tu vais”, mas as pessoas também falam “tu vai”.
No dia a dia, em grande parte do Brasil, usamos “você” ao invés de “tu”. Enquanto em Portugal “você” é uma forma de tratamento semi-formal, no Brasil é a forma mais usual de se dirigir a qualquer pessoa, com exceção das pessoas mais velhas e das situaçãoes que pedem formalidade. Jornais e revistas se dirigem aos leitores desta forma. A palavra “você” foi originada do pronome de tratamento “Vossa Mercê”, antigo tratamento dado a pessoa de cerimônia.

De uma forma geral, optamos pela informalidade. Tanto no uso do “você” como de outras formas ainda mais informais quando estamos entre amigos. Velho, rei, mano, minha pedra, bicho, cara: são tantas as gírias criadas para tratar os amigos, que daria um outro artigo!